Tecnologia em Concreto Celular! Térmico, Acústico, Ecológico.

Aditivos

PRODUÇÃO DE CONCRETO CELULAR, CONCRETO LEVE, ISOLANTE TÉRMICO, ACÚSTICO, AUTONIVELANTE!

O Concreto Celular e Concreto Leve é um tipo de concreto com densidade reduzida que resulta da pega de uma mistura composta de aglomerantes e agregados finos, que sofrem tratamentos mecânicos, físicos ou químicos, destinados a criar na sua massa uma alta porcentagem de poros esféricos, de dimensão regular e milimétrica, uniformemente distribuídos, que permanecem estáveis, incomunicáveis e indeformáveis durante todo o processo (Incorporação de Ar), resultando numa massa específica aparente seca inferior a 1900 kg/m³ e superior a 300 kg/m³; enquanto os concretos normais possuem sua densidade variando entre 2300 e 2500 kg/m³.

ECOFOAM – Aditivo Espumante Concentrado : Esta linha de aditivos produz espuma de alta densidade, resistente e duradoura, mantendo sua estrutura de micro e nano-bolhas de ar incorporadas na matriz da mistura durante sua homogeneização. Permite produzir Concreto Celular, Concreto Leve, Argamassa Leve, Gesso Celular/Leve; nas mais diversas densidades (400 a 1.600 kg/m3) e resistências, conforme o traço préviamente projetado.

ECOFOAM-AIR para produzir espuma com Geradores de Espuma. Um gerador de espuma é um equipamento especializado que permite produzir espuma densa, uniforme, homogênea e resistente, que possa suportar as forças agressivas quando misturada em uma betoneira; normalmente contempla dispositivo para controle da qualidade da espuma – densidade, humidade e resistência.

ECOFOAM-MIX para criar espuma através de Agitação Mecânica. Normalmente utiliza-se um Agitador Mecânico estático ou portátil, que funciona de forma semelhante a um liquidificador ou batedeira para produzir espuma dentro de um recipiente e posteriormente adicioná-la a betoneira. De fácil construção, uma versão simples desteequipamento pode ser construído utilizando-se uma haste metálica com hélices e/ou pás adaptadas em uma das extremidades, para que seja utilizada com uma furadeira elétrica.


ECOAIR-MIX – Incorporador de Ar : Aditivo líquido pronto para uso, destinado para a produção de Concreto Leve (1.600 a 1.900 kg/m3), incorporando inúmeros micro-poros de ar (< 0,4 mm de diâmetro) em concretos e argamassas. ECOAIR-MIX deve ser adicionado a água de amassamento antes ou durante a mistura. Devido ao efeito dos micro-poros de ar, produz concretos muito fáceis de serem lançados e adensados, podendo ser utilizado com concreto usinado ou produzido na obra.

ECOAIR-MIX Aditivo Incorporador de Ar e Plastificante, isento de cloretos, destinado a produzir concretos contendo inúmeros micro-poros de ar, estáveis, elasticamente deformáveis e uniformemente distribuídos. Utilizado na proporção de 50 a 200 ml para 100 kg de cimento, adicionado a água de amassamento.

ECOAIR-MIX + Aditivo Formador de Espuma Super concentrado, proporcionando elevada incorporação de ar e estabilidade dimensional, excepcional trabalhabilidade, isolação térmica e acústica. Com uma dosagem inicial de apenas 100 ml para cada 1.000 litros de concreto ou argamassa a ser fabricado, proporciona até 30% de ar incorporado e excelente fluidez.


400 a 1.600 kg/m3

Concreto CELULAR

  • ECOFOAM-AIR
  • ECOFOAM-MIX

Saiba Mais...

1.600 a 1.900 kg/m3

Concreto LEVE

  • ECOAIR-MIX
  • ECOAIR-MIX +

Saiba Mais...

2.300 a 2.500 kg/m3

Concreto NORMAL

  • AUTONIVELANTE
  • TERMOACÚSTICO

Conheça ...


Características dos Incorporadores de Ar

Os incorporadores de ar podem ser formulados com diversas matérias-primas básicas: ácido abiético, alquil-aril-sulfonados, sais de ácidos graxos, etc..

São tensoativos iônicos, orgânicos ou sintéticos, caracterizados por cadeias longas de carbono, que reduzem a tensão superficial da água.

O caráter aniônico dos iincorporadores leva a dispersão dos finos, incluindo o cimento. Fluidifica e plastifica fortemente, graças a formação de grande quantidade de bolhas de ar que se repelem devido as cargas de igual polaridade atuantes em suas superfícies.

Proporcionam aos concretos com baixo consumo de cimento maior plasticidade, impermeabilidade e resistência aos ataques químicos das águas agressivas, além de menor segregação e exsudação.

Introduzem ao concreto minúsculas bolhas de ar, de 100 a 300u, estáveis e elasticamente deformáveis. Tais bolhas podem ser eliminadas mediante vibração bastante intensa.

As microbolhas possuem curva granulométrica contínua, cuja zona cobre a do cimento e a da areia fina. Elas permitem maior coesão entre os agregados e o cimento, evitando a segregação e a exsudação durante o transporte e o lançamento.

As microbolhas geradas pelos incorporadores são repelentes entre si, e quando duas delas se colidem durante a mistura, não resultam em uma maior, como ocorre nos concretos sem aditivo. Elas ainda diminuem a tensão superficial da água e facilitam o rolamento entrre o cimento e os agreados. Conferem maior homogeneidade e plasticidade ao concreto.

A plasticidade conferida permite reduzir a quantidade de água sem prejudicar a trabalhabilidade original. O traço necessita ser redosado, tendo em vista que, em linhas gerais, 1% de ar incorporado equivale a uma redução próxima a 2,5% de água e 20 kg de areia fina por metro cúbico. Porém normalmente, para cada 1% de ar incorporado, necessita-se de 8% a mais de cimento para compensar a perda de resistência.

Visto que fazem função de finos numa faixa granulométrica próxima a do cimento, os incorporadores de ar possibilitam também reduzir o cimento que não tem a função de aglomerante, e sim dos citados finos.

A redução da relação água/cimento e o fato de não haver continuidade entre as bolhas de ar, que por sua vez interrompem a rede de canalículos formados pela evaporação da água de amassamento, ajudam na obtenção de um concreto impermeável.

Essa redução compensa ainda a diminuição da resistência ocasionada pela maior incorporação de ar. Entretanto, é necessário controlar o volume de ar incorporado porque, sendo excessivo, pode levar a expressivas quedas das resistências.

Fatores que influenciam o volume de ar incorporado:

  • Quantidade de finos no traço. Acima de 300 kg/m3 (incluindo o cimento) a incorporação de ar é restrita por haver pouco espaço livre para geração de bolhas.
  • Proporção de água na mistura. Quanto mais seca, menos ar é introduzido.
  • Temperatura: inversamente proporcional ao ar produzido. Normalmente altas temperaturas reduzem a formação de micro-poros.